Por dentro dos nossos Produtos

As noções de natural e de químico: a confusão dos generos!

chrono Tempo de leitura : 0 min.

O natural e o químico são duas noções normalmente opostas, sendo o natural frequentemente visto como algo saudável, enquanto que a química é assimilada a algo de perigoso, tanto para a nossa saúde como para o meio ambiente. E, contudo, na vida tudo é química, todas as matérias, todas as substâncias são químicas! O natural não é exceção. De facto, um ingrediente, quer seja natural ou não, é composto por uma ou várias moléculas definidas por um nome químico. Por exemplo, a vitamina C é ácido ascórbico, o sal de mesa é cloreto de sódio e o vinagre branco é água e ácido acético.

O que diferencia o natural, um ingrediente natural e um ingrediente de origem natural ?

Natural diz-se de algo que se encontra nesse estado na natureza, quer seja na terra, no solo ou nos oceanos, ou que é obtido diretamente a partir dos vegetais, dos minerais, dos animais ou do mundo microbiano.

Um ingrediente natural é um composto químico que provém do reino vegetal, mineral, animal ou microbiano. É obtido através de processos físicos de extração (pressão, por exemplo), sem qualquer transformação dos seus constituintes. É o caso, por exemplo, do óleo de girassol ou do azeite, habitualmente utilizados nos produtos cosméticos.

Diferente dos ingredientes naturais, os ingredientes ditos de origem natural sofreram uma transformação dos seus componentes. Essa transformação segue os princípios da química verde que respeita o meio ambiente, ao utilizar um mínimo de energia e de solventes, e gerar um mínimo de resíduos. O Pro-Xylane, por exemplo, um ingrediente antienvelhecimento utilizado nos nossos produtos cosméticos, provém da madeira de faia, seguindo esses mesmos princípios.

natural vs quimico

O que é a química e um ingrediente dito « químico » ?

A química é a ciência que estuda a estrutura, as propriedades e as transformações da matéria. Ela divide-se em diversas categorias, como a química orgânica, a química mineral, a físico-química ou a química ambiental. Por exemplo, a química orgânica é a química dos derivados do carbono e dos seus compostos.

Um ingrediente é usualmente designado de « químico » quando ele é obtido por síntese. Os processos de síntese permitem controlar a pureza do ingrediente. No caso de um ingrediente natural, que não sofre qualquer transformação, uma maior variabilidade é possível relativamente às suas propriedades, como a composição, a cor ou o odor.

Na indústria cosmética, recorremos à química para produzir moléculas ativas cujos recursos no estado natural estão a esgotar-se ou se encontram em pequena quantidade na Natureza, como a vanilina ou a vitamina C. Esses ingredientes de síntese podem ser de origem vegetal, mineral ou fóssil (provenientes quer do petróleo, quer dos seus derivados). Sofrem então uma transformação química mais significativa do que os ingredientes de origem natural.

A utilização desses ingredientes transformados pela química permite igualmente preservar a biodiversidade, duplicando quimicamente uma molécula natural sem ter de a explorar. É frequentemente o caso para os ingredientes utilizados em perfumaria.

Ingrediente sintético, ingrediente natural: um é mais seguro do que o outro?

A química é frequentemente associada ao que é artificial ou sintético. Esta associação reforça as ideias feitas: o químico é nocivo, enquanto que o natural é bom! Esta afirmação é totalmente falsa. O natural não é sinonimo de saúde ou de segurança, bem pelo contrário. Com efeito, os venenos mais perigosos encontram-se na natureza, como o veneno dos animais, a dedaleira ou a cicuta (plantas tóxicas). Transformar quimicamente uma matéria permite controlar melhor a sua qualidade, a sua reprodutibilidade e, assim, limitar as impurezas. Na natureza, a qualidade dos ingredientes naturais varia segundo o clima, os campos em redor ou, ainda, as impurezas que possam ter-se depositado neles.

Por fim, é igualmente bem conhecido cientificamente que é a dose é que faz o veneno. Como todos os tipos de ingredientes, um ingrediente natural, como o açúcar ou o sal, pode ser perigoso caso seja utilizado em doses inapropriadas. Todos os nossos produtos, formulados com ingredientes naturais ou não, são submetidos a uma rigorosa avaliação da sua segurança para o homem e o meio ambiente, tendo em conta as condições de utilização: uso, frequência e dosagem dos ingredientes.

Os nossos compromissos

Na L’Oréal, comprometemo-nos a respeitar a biodiversidade e a preservar os recursos naturais. Para além das noções de natural ou de químico, o que é fundamental para preservar o planeta é a utilização de ingredientes renováveis. A maior parte das nossas matérias-primas é derivada de fontes renováveis e é, em grande parte, de origem vegetal. Consideramos a biodiversidade como uma fonte essencial de inovação. Assim, comprometemo-nos no aprovisionamento de ingredientes de modo sustentável e responsável. Até 2030, 95% dos ingredientes das nossas fórmulas serão provenientes de fontes vegetais renováveis ou de minerais abundantes.

Descubra

As nossas últimas informações

Encontre aqui os temas mais recentes Por dentro dos nossos produtos.

  • Nossa metodologia de eco-concepção

  • Nossos compromissos em nome do respeito pelo meio ambiente

  • Fórmulas mais respeitosas do meio aquático

  • Netlock, a nossa tecnologia para uma proteção solar mais eficaz

  • A classificação das substâncias CMR

  • Traços (Vestígios, PT) de impurezas e de contaminantes

  • As noções de natural e de químico: a confusão dos generos!

  • Os selos: o que são e para que servem?

  • Bebes, crianças e grávidas : cuidados específicos

  • Aplicativos (Aplicações, PT) de beleza

  • A composição dos nossos produtos : o nosso conhecimento, a nossa expertise

  • Os disruptores endócrinos

  • A segurança dos nossos produtos : a nossa prioridade absoluta

  • A Qualidade no centro dos nossos produtos

  • Os metais pesados

  • Os nossos métodos alternativos aos testes em animais

  • O respeito das regulamentações dos produtos cosméticos